sábado, 6 de junho de 2015

The Goth Tag

Sim, eu vou responder uma tag. Isso é bizarro, mas como o World Goth Day aconteceu e eu não tive como postar no dia resolvi tomar vergonha na cara e fazer algum post... e acabei pegando/roubando esta tag que a linda da Ariel do Inexplicited postou no blog dela (e fez o lindo favor de fazer a tradução!!!! *-*) para eu fazer aqui também. Apesar de não me considerar 100% gótica, pois não tenho costume de me rotular já que possuo gostos variados, eu não deixo de ser menos gótica por isso. Enfim, vamos para as questões:


1 - A quanto tempo você é gótico?

Desde que me entendo por gente eu sempre me interessei pelo underground. Tipo, eu tinha uns 10 anos... lembro que eu pintava os lábios das minhas barbies com caneta preta e achava elas lindas e minha mãe queria me matar kkkkkk. Eu pintava os cabelos delas com batom vermelho e adorava. Tudo que é muito diferente, macabro/bizarro e principalmente antigo ou medieval me atrai. Isso significa também que eu não me interessei apenas pelo gótico e sim por muitas subculturas ao mesmo tempo. Quando as pessoas me perguntam se eu sou gótica, eu gosto de dizer que sou simplesmente eu. Gosto muito de metal e post-punk, adoro a moda rockabilly, cyber e vitoriana, amo camisetas de banda e roupas de vinil, além disso adoro roupa medieval e céltica/étnica... percebem? Na verdade sou o resultado da mistura de todos os meus gostos.

2 - Como você foi apresentada à subcultura gótica?

Não foi nem pela família e nem pelos amigos, porque meus pais curtem forró e sertanejo e meus amigos gostavam de pagode, então, já sabe né... Mas eu vou confessar para vocês que lá em 2006, quando os emos estouraram no Brasil (imaginei a cena), eu fiquei apaixonada pela estética, já que era um pouco do que eu curtia na época. A partir daí eu comecei a usar algumas coisas do estilo (se liguem, eu tinha uns 10 ou 11 anos), cortei o cabelo repicado, usava all star e foi aí que comecei a me maquiar, usar lápis preto e ... Meu, eu nem fazia ideia do que era ser gótico, headbanger, rockeiro, vampiro ou sei lá o que, eu só queria ser dark/trevas from hell/du mal com as minhas roupas pra lá de Avril Lavigne (que afinal era minha diva, falo mesmo) e meu lápis de olho like a panda from hell. Além disso eu era MUITO fã de Evanescence, muito mesmo. E até hoje ouço algumas músicas (me julguem agora) Nossa, aquilo era a minha vida. E foi assim que comecei a me interessar pelo mundo underground... '-'

3 - Qual subgênero do gótico você se encaixa?

Simplesmente não sei dizer. Amo muito o estilo cyber, mas eu curto muito, muito mesmo o vitoriano e medieval (tipo aquelas imagens que quando a gente pesquisa no google a palavra "gótica" aparece umas minas segurando umas flores na mão, com vestidos extremamente longos e pretos e de cabelos bem longos). Aliás, acho que esta vertente tem bem mais a ver comigo. Sou uma pessoa extremamente reservada, então por um decote para mim é um pouco difícil... Porém ao mesmo tempo, amo muito, muito, muito, demais moda fetichista e plataformas kkkkk... confuso não? Acho que lá no fundo sou uma mistura de tudo ao mesmo tempo.

4 - O que você acredita ser a base da subcultura? 

Apesar dela ser importante, acho que a base vai muito além da estética. A gente tem que se identificar com a riqueza cultural que a subcultura tem a nos fornecer como a música, os filmes, a arte e arquitetura, história e assim por diante. De que adianta se vestir como gótico se aquilo nem faz muito sentido com o que você pensa? Acho que as vestimentas mostram muito da personalidade do indivíduo.

5 - O que você não gosta em ser gótico?

Infelizmente ainda há muito preconceito na cena underground, principalmente a gótica. Eu sou negra e ainda percebo o impacto que eu tenho por me vestir de tal forma. As pessoas acham que ser gótico é ser mais branco que papel, ter a cara cheia de pó branco e uma maquiagem pesada, roupa cara, etc. Se você é negro você não pode ser alternativo... um exemplo disso é as denominações estúpidas para negros alternativos como afro goth para negros góticos, blipster para negros hipsters, afro sei lá o que... para negros que curtem sei lá o que... caralhos, por acaso branco que curte hip-hop/rap é chamado de euro-rapper????? Branco que curte rock (música de origem 99,9% negra) é chamando de euro-rocker????? E a porra de música que você ouve não vem do rock? ENTÃO POR FAVOR TOMAR NO CU. Desculpem... é que denominações baseadas em critérios raciais me enoja. Seremos apenas humanos, ok? Ok.

6 - O que os seus pais acham disso tudo?

Meu, nem sei cara... Meus pais não se incomodam muito não, porque eles já sabem que sou assim desde muito cedo mesmo, nunca escondi meus gostos, mas provavelmente acredito que eles deveriam gostar mais de mim se eu fosse um ser normal. Minha mãe já me questionou diversas vezes se eu seguia satã, porque que eu me visto de tal forma... Mas hoje acho que ela não liga mais (afinal foi ela que fez meu undercut).

7 - Sobrancelhas, ou sem sobrancelhas?

Atualmente sobrancelhas finas, porque eu sou super hiper mega preguiçosa para fazer e contornar essa joça. Dá trabalho, mas mesmo assim mantenho elas finas limpando os excessos e preencho com lápis quando eu tenho uma ocasião mais especial. Mas pensando bem eu sou naturalmente "sem sobrancelhas" porque eu tenho muito pouco pelo kkkkkkkkkk

8 - Qual a sua banda favorita?

Minha banda gótica favorita (sou apaixonada demais) é Skeletal Family. Eu amo a voz esquisita dela, o que eu acho um pouco estranho, dificilmente eu curto mulheres no vocal (não gosto de voz aguda...). Eu descobri por acaso faz uns tempos, uns dois anos talvez e foi uma das melhores descobertas da vida! Escuto todos os dias e não me canso, afinal não é a toa que a música que mais amo da banda ela está na barrinha ali em cima (procura lá e escuta criatura!). Vou deixar outra aqui que eu amo demais, conhecidinha, mas eu não me canso de ouvir, senão vou acabar deixando várias aqui heurhauehaue. Ah e também curto dark wave, EBM, industrial e algumas bandas de deathrock, mas é com menos intensidade (Ghosting, Asphyxia, Suicide Commando... etc.)


9 - Sua opinião sobre Marilyn Manson?

Não só gosto muito como tenho o álbum Antichrist Superstar completo no meu celular, sou suspeita a falar. O Marilyn Manson tem as suas idiotices, como qualquer pessoa mas por ser extremamente excêntrico em seu estilo as pessoas o condenam por qualquer coisa que ele faz. Eu sinceramente adoro o estilo dele e tem muita coisa boa em seus álbuns que deveriam ser ouvidas com mais calma e menos preconceito.

10 - Como foram os seus dias de "baby bat"?

Foram um pouco tristes, porque quando se é um baby bat as pessoas julgam ainda mais HEHIAUEHUAHE. Eu confesso que eu passava o dia inteiro ouvindo música dentro da sala de aula e ia para a escola com um lápis preto no olho todos os dias, no final da aula eu ficava igual um panda e as pessoas riam de mim, muitos perguntavam se eu tinha parado no tempo porque eu continuava emo em pleno ano de 2010, mas fazer o que né, ainda bem que esta fase passou. Eu também tinha mania de andar toda de preto em grande maioria das ocasiões. Até hoje eu ando, porque me sinto confortável assim, mas antigamente era muito forçado e extremamente escroto.

Bom, é isso, assim como a Ariel, deixo livre para quem quiser responder, afinal odeio esse negócio de ficar escolhendo blogs para fazer tags, assim deixa muitos blogs interessantes de fora, então sintam-se a vontade para responder. E vou responder a todos com muito carinho amanhã no domingo.

Beijos!

5 comentários:

  1. Que interessante, foram as primeiras respostas que li que me identifiquei, que se assumiu mesmo, não deu uma de "nasci goth". Eu também amo Cybers, se eu pudesse, como já disse um milhão de vezes, me vestiria totalmente personagem sci-fi da vida! E sei lá, acho que meu lado gótico aflorou na literatura e nos filmes primeiro, já muito tarde que vim descobrir o vestuário. Antes disso, sempre fui basicona, apesar de ter tido alguma roupinha ou outra. Adorei as suas respostas, e concordo com você com essa frescura de Afro-X, nada ver! É incrível como temos muitas coisas em comum! <3
    4sphyxi4.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ah que lindinha, outra que usou a minha tradução <3
    Adorei as suas respostas, principalmente de quando você contou das barbies rabiscadas até porque eu fazia o mesmo sfkdshgfkhscf
    Bem autêntico.
    Bjo!

    www.inexplicited.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Gente, que tag mais linda! <3 <3 <3
    Cara, me identifiquei com muitas coisas que você respondeu.
    Primeiro porque eu tb não tinha muita noção de nada aos 10 anos, quando conheci Evanescence HAHAHAHA minha mãe achou que seria "ok" me dar dois CDs no natal: um do Evanescence e outro da Pitty! Bom, minha mãe gosta de Iron Maiden, Metallica etc, então ela achou fofinho iniciar a filha com ~música pra idade dela~ KKKKKKKKKKKKK ela é uma figura! Nesse ponto, nunca tive problemas com meus pais com relação ao meu estilo (meu pai tem camisa do Slipknot, ou seja e_e)
    Confesso que, depois de grande, também não tive vontade de me autointitular gótica ou algo do gênero, mesmo correspondendo a 80% das características ditas "trevosas". Primeiro porque gosto de muita coisa ao mesmo tempo, como você, e porque acho a cena underground muito chata no que diz respeito ao preconceito, porque como negra eu também percebo uma certa estranheza por eu usar moda alternativa e ser negra ¬¬
    Não conhecia a Skeletal Family, mas já tô apaixonada <3 É o tipo de música que eu gosto *0*

    Beijos!!
    Burlesque Suicide

    ResponderExcluir
  4. Me identifiquei... tipo, com quase tudo... rs
    Eu também entrei pro meio alternativo a partir da minha fase emo fã de Avril Lavigne (que também era minha diva na época! haha).
    Cara.. eu tinha até franja no olho (vergonha alheia... shaushau)
    Mas enfim, adorei as respostas!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Cara, me identifiquei com suas respostas, também pintava os rostos das barbies e pintava os cabelos delas e também ouvia muito evanescence na adolescência, na época Amy Lee para mim era pura trevosidade, e quando comecei a ouvir metal extremo minha mãe também pensou que eu havia me tornada seguidora de satã, isso costuma acontecer nas melhores famílias, também não curto isso de me rotular gótica ou headbanger, já que curto tantas outras coisas e adoro moda vitoriana, tipo muito.
    Bjs.

    ResponderExcluir