domingo, 8 de novembro de 2015

Tag: My Un-goth Confessions

Eu não tenho o costume de responder tags, porque nem sempre trata-se de um conteúdo mais direcionado ao meu blog, que costuma ser bem pessoal. Às vezes vejo alguma tag ou outra que acho que tem a ver comigo e trago pra cá hsuahsuehas... Enfim, o tema de hoje é uma tag que roda por aí na internet e que tem origem no exterior, óbvio. Ao pé da letra, seria algo como minhas confissões "não góticas", isto é, coisas que fogem da concepção de um gótico, claro. Enfim, apesar de não me declarar 100% gótica, afinal cansei (kkkkk) de dizer aqui que eu tenho muitas outras influências, trouxe aqui para vocês para descontrair. :]

Linda né.

Eu não ouço gothic rock e, talvez este seria o principal motivo pelo qual eu não me considero gótica. Não que eu não ouça nenhum tipo de gothic rock, mas não é o estilo de música que mais me agrada. Apesar de eu ser apaixonada por Bauhaus, Skeletal Family e post-punk, que é também um estilo de música presente na subcultura gótica, meu forte é metal extremo e heavy metal. 

Eu acho cemitérios lindos, mas não gosto de ficar por lá. Sinceramente, gosto do silêncio e da paz que um ambiente pode proporcionar, mas não gosto da paz de cemitérios. Eu sou uma pessoa hiper sensitiva, daquelas que basta ver uma foto e absorver todas as energias dela, sejam elas boas ou ruins. Cemitérios funcionam da mesma forma para mim, e sinto que estão cheios de energias "negativas". Muita gente que foi para lá e nem sempre era hora dela morrer, além disso, muita gente vai até o cemitério relembrar de momentos bons, porém se lembra do momento ruim da perda, o que é triste. 

Não costumo de andar em "bandos". Às vezes, fico um pouco desnorteada ao ver alguns blogs alternativos, porque as meninas sempre tem uma amiga ou várias amigas que tenha um estilo semelhante ao delas e eu, bem, eu não sou assim. Não que eu não goste de ter amigos alternativos, é porque eu não vejo diferença em ser amigo de alguém que se vista normal e de alguém alternativo. Para mim são apenas pessoas, e sendo legais eu falo e sou amigável com todas. Mas adoro ter amigos que compreendam meus gostos. :) 

Não gosto de looks totalmente monocromáticos. Eu adoro as cores e elas precisam existir na minha vida. Tanto que minha cor preferida é azul, não é preto. Eu adoro azul, fica bem em mim e me completa. Mas tenha certeza que 80% do meu look é preto. Gosto tanto da combinação preto + azul que meu cabelo tinha que ser preto azulado, heuaheuhae... Adoro tons de prateado também. 

Não gosto de cabelos coloridos. E eu cheguei a esta conclusão esses dias aí. Não que eu os ache feios, mas definitivamente não fazem muito o meu estilo. Eu gosto de parecer uma assombração, uma entidade paranormal e os cabelos coloridos não ajudam muito kkkkkk... mas amo tatuagens e piercings, muito mesmo. Pensando aqui, talvez eu usaria algumas mechas coloridas (azuis, pra variar), mas totalmente coloridos eu não curto não. 

Não gosto de usar maquiagem. Não significa que eu não goste de maquiagem, mas eu não curto sentir que há algo no meu rosto e, independente do produto ser bom ou ruim eu sinto que há uma massa corrida na minha cara, principalmente batons.... cara, eu odeio usar batons. O tempo máximo que eu aguento com maquiagem é 2 fuckin horas, e chorando para tirar. E depois vem o pesadelo, porque surgem horrores de espinhas. Me julguem. :P Mas curto usar lápis de olho e, quando dá uso algum protetor solar com base. Apesar de tudo, ainda acho maquiagem uma coisa muito linda, é arte pura. 
 
Eu não raspo as sobrancelhas totalmente, e os motivos vocês podem descobrir lendo o item 6, como eu não uso tanta maquiagem com frequência, eu deixo minhas sobrancelhas bem fininhas e raspo somente a metade, que eu acho que é a forma que mais combina com meu rosto. Assim não preciso fazê-las todos os dias e, consequentemente não utilizar maquiagem todos os dias. 

Moda fetichista não é o meu forte. Infelizmente, apesar de admirar muito, não acho que eu combine com a moda fetichista, algo que é fortemente presente dentro da subcultura gótica. Acho que eu sou meiga e ao mesmo tempo machona demais para usar roupas no estilo. Eu funciono na base do 8 ou 80, ou totalmente menininha ou totalmente machão, na realidade eu misturo o menininha do gótico vitoriano com o militarismo (machão) que também é algo presente na subcultura gótica. Fico neste meio termo. Roupas de latex, super coladas no corpo, fivelas e muitos spikes não combinam comigo. Mas adoro decotes. 

Eu adoro roupas ao estilo boho (tipo assim hippie) e também curto usar roupas de "headbanger", quando não dá pra se vestir a caráter. Minhas roupas do dia-dia (trabalho) são bem mais headbanger do que góticas, pra falar a verdade. É porque eu acho que por serem roupas mais comuns, como camisetas de banda + calça + tênis + jaqueta, são mais fáceis de serem reproduzidas no dia-dia (leia na correria de SP), do que se vestir de vestido + meias arrastão + coturno pesadão + coleiras e acessórios... mas bem que queria ser assim todo os dias. 

Não gosto da "temática sentimental" que a cultura gótica tanto ostenta e vangloria. Muita gente cria um preconceito a cerca da subcultura por acreditar que os góticos possuem tendências depressivas... Claro, por curtirem a solidão de uma forma positiva e terem uma visão diferente do significado da morte. Eu tenho estes conceitos enraizados em mim. Adoro ficar sozinha e tenho sim uma visão muito diferente da morte, mas isso não me torna depressiva, pessimista ou algo do tipo. Isso não é depressão, isso é ter uma visão alternativa do mundo. Talvez seja por isso que eu não curta tanto bandas góticas, pois elas adotam muito a temática da tristeza e melancolia. Eu sou uma pessoa hiper racional, então não curto coisas muito sentimentais...


Então é isso. Eu confesso que fiquei pensando bastante para colocar aqui, porque pra falar verdade eu me identifico muito com a subcultura gótica e fica até difícil lembrar de coisas que eu discordo. Mas forçadamente este foram os 10 mais principais. Podem perceber que há muitas contradições aí kkkkk tipo: não achar que moda fetichista combine comigo mas eu usar (e amar) meias arrastão. Para vocês verem que muito do que tá aí nem é 100% mesmo. São apenas coisas da subcultura pelas quais eu não ligo muito.

E fim! Espero que vocês tenham gostado!
Beijos!

7 comentários:

  1. Madaha! Eu tenho visto essa tag rolando por aí, achei bem legal conhecer mais das pessoas! Vou comentar alguns de seus pontos ;)
    Eu também não sou gótica, mas como existe influência gótica (histórico, literário e subcultural) no rock, não tem como eu não ser trevas também né? Eu me considero "roqueira" porque eu gosto da maioria absoluta dos estilos musicais dentro do rock (inclui-se aqui metal, rock gótico e punk) assim como o conceito quebrador de regras por trás do rock, e por isso mesmo minhas referências são muito abrangentes.
    Assim como você eu tenho essa coisa da sensibilidade/empatia e nem sempre cemitérios são lugares apropriados pra mim e sei lá, dependendo da abordagem, soa até cliché ser "um gótico de cemitério", parece que a pessoa só tá reproduzindo um comportamento e não questionando se curte mesmo fazer aquilo.
    Também nunca consegui andar em bandos de pessoas com estilos semelhantes, na verdade, minhas amigas, mesmo as alternativas, cada uma tem seu visu. Onde eu sinto que ocorre uma semelhança mais visual é quando encontro a turma de conhecidos do Metal, daí rola uma homogeneidade estética maior por conter muito preto e spikes em comum rsrs.
    Eu sou de fases. Tem épocas que vivo monocromática e épocas que visto cor dos pés à cabeça... eu tive uma fase de querer aparentar assombração, cheguei até a tingir o cabelo de preto ou usava na cor natural. Que interessante isso que você falou de achar que cabelos coloridos não lembram assombração... isso me deu o que pensar... será que é porque esta imagem ainda não foi quebrada? Quero dizer... a gente reproduz uma imagem que foi "ensinada" pra gente como sendo a "de fantasma", será que em algum momento nosso conceito de imagem fantasmagórica vai mudar? Afinal, garotas de cabelos coloridos também morrem haha! Mas daí talvez seja um colorido mais pastel... é, gostei dessa divagação. :D
    Já make, eu não curto muita coisa nos olhos... não sei, não consigo...o resto eu não me importo.
    E eu sou chegada na estética fetiche haha!
    Adorei suas confissões e achei muito legal sua sinceridade, acho que você é a primeira, das que li até agora, que assume não ser goth mas mostra suas referências desta subcultura! Bem legal!
    Bjs!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sana! Que amor você por aqui! <3 Adorei o significado da denominação de "rockeira", eu sempre levo como uma forma meio estereotipada e às vezes até pejorativa, nunca tinha parado para pensar desta forma.

      Falou tudo Sana, falou tudo! Penso o mesmo a respeito. Até porque quando góticos frequentam o cemitério geralmente vão beeeem a caráter mesmo, tipo: olha só o que eu faço, eu sou um gótico e eu vou ao cemitério... Haushauaha meio bleh mesmo.

      Pois bem, sobre os cabelos coloridos, penso que em mim eles não remetem a assombrações, simplesmente porque eu sou tenho a pele morena, isto é naturalmente quente e amarelada, os cabelos coloridos reforçam está característica, mas acredito que em pessoas brancas e pálidas naturalmente é possível aparentar um cadáver sim kkk até porque isso me faz lembrar as pinups goth que aparentam mais umas zombie pinups, que eu acho lindo demais, e elas usam muuuito cabelos coloridos!! É muito amor!

      Eu curto por algo nos olhos de vez em quando e odeio maquiagem, apesar de gostar de batom preto e uma maquiagem beeem drag queen. Mas não consigo usar, então vivo assim. Kkkkk Eu Confesso que adoro moda fetichista!!! É linda demais, mas nao me sinto bem usando, sei lá, falta algo em mim qdo uso... :/

      Obrigada mesmo pelo comentário! Ser gótico pra mim não deixa de ser um rótulo. Acho que se a gente tem tantas influências, diversas inspirações, porque se rotular? Fico muito feliz que tenha gostado!

      Beijos!!!!

      Excluir
  2. Anônimo10/11/15

    '' Eu gosto de parecer uma assombração, uma entidade paranormal e os cabelos coloridos não ajudam muito '' ahsuhauhsa acho você muito autêntica , por isso adoro seu blog <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! hausuasuahs Muito obrigada mesmo!! De verdade! <3 Agradeço muito o carinho!!!

      Excluir
  3. Adorei o post Madaha!
    Eu também não me considero gótica, mas tem coisas no estilo que super me inspiram e influenciam.
    Eu acho o visual fetichista puro amor. Adoro fivelas, meias arrastão, spikes, roupas coladas e acho lindooo roupas em látex. Mas como é muitoo caro, vou tentando imitar com o vinil e coisas do tipo mesmo quando dá... rs
    Sobre andar "em bando", eu também não tenho muitos amigos com estilos semelhantes. Pra você ter ideia, a minha melhor amiga não tem nada nada de alternativa... rs
    Eu também não ligo pra isso. Acho que antes de qualquer coisa, pessoas são pessoas. Óbvio, mas tem gente que ainda não entende, né!? rs
    Achei bem divertida a TAG e adorei suas confissões. ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também sou apaixonada pela temática fetichista, porém eu me sinto esquisita usando, acho que não combina comigo, sou mais militarista, mais punk, trad goth mesmo. Mesmo assim tenho meias arrastão, muitas coisas com spikes e mesmo assim eu utilizo, intercalado com outros estilos. Mas deixo bem claro que eu gosto sim kkk

      Eu também, minha melhor amiga é bem tradicional!! Nem curte rock, para falar a verdade, mas mesmo assim nós somos muito amigas mesmo!! Agshuusha vai entender... Pessoas podem ser legais independente do que elas vestem. Conheço muito "headbanger" por aí que é mais intolerante e ignorante do que muitos pagodeiros que conheço, sabe??? Kkkkkk

      Bem isso! Responda também, adoraria ver!
      Beijos!

      Excluir
  4. Ahhh, que da hora você fazendo uma TAG, Madaha <333
    Acho muito amor porque assim sempre conheço um pouquinho das pessoas que gosto de acompanhar.
    Vamos lá:
    1 - Não me identifiquei muito porque né, vim da cena punk e por incompatibilidade, admito, nunca gostei nem do som nem da galera do metal. Como você mesma comentou na resposta à Mone, headbangers geralmente nutrem vários preconceitos - machões, homofóbicos e por aí vai. Claro que não é todo mundo, inclusive tenho um amigo metaleiro gay que conseguiu um feito muito bonito em Brasília na cena metal nessa questão da aceitação (mas sofreu pra caralho pra ser aceito até mesmo por companheiros de banda)... Enfim, como tudo na vida é relativo e varia de cabeça para cabeça. O lance é que eu nunca fui de metal mesmo, meu limite máximo é Agnostic Front, que se diz hardcore, porém mescla muito com elementos do mettttal hahah.
    2 - Por um lado acho ridículo esse vínculo de cemitério com cena musical, mas respeito pela questão estética, fotográfica e etc. Mas sou sensitiva como você e por questões óbvias, só frequento em enterros por respeito mesmo aheuaheau.
    3 - Taí uma coisa que não amadureci, eu sempre fui de bandos. E mesmo que tenha largado o punk e o Oi!, por uma questão de identificação eu prefiro a companhia de pessoas que me entendem - acho que sou tão apegada a visu e ideais que perco a oportunidade de conhecer pessoas que me acrescentariam bastante. Não por acaso prefiro manter amizade com LGBTs, confesso que sou um tanto idiota nessa questão.. não gosto de héteros que não são "do rock" - somente no ambiente de trabalho, é óbvio hauehaueahue. Talvez pela percepção de que geralmente essas pessoas são ligadas ao cristianismo, conservadores em excesso ou com gostos completamente diferentes dos meus. Gostei muito do que você falou "Eu não vejo diferença em ser amigo de alguém que se vista normal e de alguém alternativo". E é isso aí, está certíssima! Quero ser evoluída assim um dia.
    5 - Queria ser assim, eu economizaria milhares de dinheiros desses anos todos pra cá e ainda teria meu cabelo perfeitamente saudável AHHAHAHA. Apesar de ser suspeita, acho que você com o cabelo todo azul escuro ficaria perfeita, meu. Olha a cor linda dos seus olhos, você lacraria milhões hahaha. Mas é gosto, né. Quando a gente não gosta, não tem jeito (mas pensa com carinho, já que você ama azul) ahueahe.
    6 - Me identifiquei total, sou a preguiça em pessoa tratando-se de make. Até queria saber fazer umas fuderosas como muitas meninas que lacraaaam, mas kedi coragem? Só que ao contrário de você, sou dependente de batom, é o único item indispensável pra mim.
    8 - Me identifiquei, essas paradas também não são meu forte. Pra falar a verdade eu nem acho tão bonito HAUEHAUE Mas é questão de gosto, é claro. Aposto que as mesmas pessoas que se montam no goth fetiche podem me ver na rua e pensar ''omgosh, -qq isso'' HAUEHUAE.
    E te entendo, também me vi na parte em que oscila o menininha com o machona AHUEHAEUE. Eu ando largadona no geral, coisa rara é eu comprar roupa, e quando quero dar uma produzida eu dou. Até queria ter a paciência de antes de acordar mais cedo pra montar visu, levantar moica, fazer uma make trabalhada, mas não tenho mais esse pique.
    10 - Nada a ver com a TAG em si, mas percebo que teu ascendente te salvou amargamente da natural melancolia canceriana AHAHAH. Fico feliz, pois olha, conheço cancerianos que NÃO.SÃO.PESSOAS.FÁCEIS. auaheuaheuaheu.

    Me amarrei no post, acabou que mesmo sem ter nada de gótica eu pude te entender melhor e também interagir no que nem fui chamada >< aheuahaue. E é isso, meu. Autenticidade é isso, é não nadar a favor da corrente dos conformados e fazer só as coisas do jeito que a panelinha espera. Acho que nada disso te torna menos gótica, mesmo que você não se rotule como tal, é engraçado como em todas as subculturas existem determinadas regrinhas, apelos e mimimis que no fundo dão no mesmo: pessoas sendo insuportavelmente pessoas. E você é uma fofa!

    Eta que já falei demais, beijão, Madaha =*********

    ResponderExcluir