terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Apropriação Cultural ou Estilo Próprio?

Eu fico puta de ver que mesmo todo mundo estando careca de saber que estamos em um mundo globalizado e 90% culturalmente unificado, ainda tem gente que briga porque acredita que deva existir cultura de branco, cultura de negro, de asiático e assim por diante. Poxa, começando pelo rock. Eu já ouvi muita gente negra falando que não ouve porque é "música de branco".... ??????? Mas como assim música de branco? Por acaso você sabe quem criou o rock e de onde ele veio? Sim, é difícil de engolir, mas o rock possui contribuição fortíssima da cultura negra. E o heavy metal também, porque apesar de se tratar de um estilo mais contemporâneo (e de forte presença "branca") isso não anula a sua origem. Então porque tanto bla blá blá?

Eu de boas dando uma de Mona Lisa para ilustrar este post.
Mesma coisa é o reggae e os dreads, a umbanda, o turbante, o candomblé, a cultura budista, a cultura JAPONESA né Brasil que adora mangá e anime, a dança do ventre... As esfiha do Habbib's... Gente, era para ser algo normal aqui no Brasil, por se tratar de um país de multiculturas. Nós temos em um lugar só o índio, temos o branco, temos o negro e o asiático, mas mesmo assim as pessoas ainda insistem em promover discurso de ódio e de qualquer maneira, sobre qualquer coisa. O legal (e normal) era a gente respeitar mais o próximo e sua cultura e, por que não misturar as culturas? Eu tô falando aqui sobre isso justamente porque eu vi na internet uma manifestação negra contra a "apropriação cultural", em que havia um cartaz escrito: "tire suas mãos brancas dos meus dreads e lá lá lá... (não me recordo o resto)"... E gente: pra quê isso? Tá, vamos ser sinceros que um branco de dreads é sempre considerado como "estiloso", já negro de dread é vagabundo, é mendigo... Mas, estas pessoas já pararam para pensar que às vezes, um cara branco, por usar dreads, pensa em contribuir para igualdade humana? Nem sempre um branco, ao usar dreads está querendo ser superior a um negro. Arrisco a dizer que seria bem difícil disto acontecer.

Mesma coisa é o rap. Vamos ser sinceros novamente que, a Azealia Banks, por ser negra, dificilmente é citada e convidada para festivais de música, e todas as suas polêmicas e críticas sobre o preconceito existente na música é sempre tarjado de vitimismo... Diferente da nova sensação do rap Iggy Azalea, que mal chegou na indústria da música e já é bem conhecida. Percebam, não estou diminuindo o trabalho dela, mas mostrando que os níveis de reconhecimento de uma negra cantando música negra e de uma branca cantando música negra são bem diferentes. E isso é muito ruim, mas percebam... O problema não é a apropriação cultural. O problema é racismo. Simples. É muito mais aceitável ver uma mulher branca cantando rap do que uma mulher negra, assim como também é mais fácil ver vitimismo quando um negro fala sobre racismo, mas quando um branco fala sobre racismo aí ele é o maioral.

Eu preta branca índia, tudo ao mesmo tempo, com muito orgulho, mas ignorem as toalhas do banheiro.
Bem, sobre o estilo próprio que citei no título, é fácil imaginar sobre o que estou pensando. Imagina só se o branco só fizesse coisas pertencentes a cultura branca, o negro e o asiático também. Cada um viveria na sua vidinha fazendo sempre as mesmas coisas e meu, cadê a identidade própria nestas horas? E o pior, eu penso nos mestiços, que não são nem um nem outro. Eu, por exemplo, sou mestiça. Sou a mistura forte de três etnias e mais algumas outras porque tem de tudo na minha família, desde o mais branco até o mais preto. Então eu faço apropriação cultural a todo momento? Será mesmo? Mas eu tenho tanto sangue de preto quanto de branco em mim... E agora José? Tá vendo que não faz sentido? Não no mundo de hoje, isso NÃO faz mais sentido! E ainda tem gente tosca que defende racialismo, que é um forma "abrandada" de racismo. Também não faz sentido.

Isso me lembra o Varg do Burzum. Porra, qual é a importância de defender a droga da "cultura branca" sendo que ninguém neste mundo é puro? Qual é o objetivo de fazer pessoas casarem com pessoas de mesma etnia? É zerar as possibilidades de alguém "de fora" compartilhar da genética dele, por que? E qual é o problema de compartilhar? E meu, se você não quer casar com uma pessoa não-branca, isso é problema seu, mas querer que isso vire regra para os outros é babaquice. E outra, se o black metal chegou a virar black metal um dia, ele querendo ou não, gostando ou não, deve agradecer aos negros que deram início ao rock n roll. O black metal não surgiu de uma explosão nórdica espontânea, né não? E ainda tem retardado que defende as ideias deste otário. Meu nível de admiração por uma banda acaba quando a tolice do(s) integrante(s) ultrapassa a qualidade da música. É tipo o Dave Mustaine... eu passei a "odiar" o Megadeth depois da chatice religiosa dele. Cara ficou véio e chato... pqp. Retardado. As pessoas envelhecem e crescem psicologicamente, ele só fez regredir, acho que foi as drogas que fizeram isso com ele, não é possível.

Enfim, o que eu quero concluir com isso é que o Varg e aquelas pessoas que participaram da manifestação contra a apropriação cultural são tudo farinha do mesmo saco. Eu uso o que eu quiser. Hoje eu tô usando turbante, amanhã eu aliso o cabelo e depois eu tô usando dreads de novo.  Eu ouço reggae, eu ouço metal, ouço a droga que eu quiser. E também desenho mangá, faço ballet e dança do ventre e se reclamar, eu faço karatê também e uso o bindi das indiana porque eu quero. Não estou a fim de diminuir ninguém, muito pelo contrário, valorizo a cultura de cada lugar, da mesma forma. Então dane-se e beijos!

6 comentários:

  1. Moça, você falou tudo que eu penso. O problema da "apropriação cultural" não é a utilização de elementos de outras culturas em si, mas o racismo que está ~tadan~ na sociedade. Se essa discussão já nem faz sentido em outros países, no Brasil ela é completamente destruída.

    Eu já li vários textos sobre apropriação cultural e entendo o lado dessas pessoas, mas não concordo. Ninguém pode tirar minha liberdade indivudual por causa de um problema da sociedade como um todo.

    Por um tempo achei até válido que a gente não pode usar alguns símbolos porque não estamos inseridos no contexto no qual o tal símbolo tem significado, mas uma coisa que aprendi nas aulas de antropologia é que os mesmos símbolos ganham significados diferentes em sociedades diferentes. Então eu não estou totalmente me apropriando da cultura de outro povo se aqui está sendo criado um novo significado para o tal símbolo...

    Sei lá, acho triste que um movimento que grita tanto por igualdade racial como o movimento negro venha com esse ideologia segregadora. :(

    P.S.: O blog tá lindo, que inveja dos teus designs ♥

    Beijos.
    Oh Maria

    ResponderExcluir
  2. Cara, que texto maravilhoso. Finalmente alguém que tem a mesma opinião que eu sobre o assunto.
    Esses dias aconteceu uma coisa horrorosa, que me fez pensar em que merda passa na cabeça de certas pessoas... Uma mina de pele negra, conhecida minha, disse exatamente assim pra outra mina branca que usa dreads: "eu não sei porque essa escória branca fica tentando se apropriar da cultura do meu povo, esse lixo branco deveria ser fuzilado e sumir do mundo" Eu fiquei tipo, de boca aberta, porque além de ser um comentário desnecessário, racista e extremista, essa mina negra é filha de um pai negro e uma mãe BRANCA. OMG, o que passa na cabeça dessa criatura? Não sei que rumo esse mundo tá tomando e eu prefiro nem saber. Só sei que não faço mais questão de falar com essa mina nem com nenhuma outra que pense de forma tão irracional...
    Esse mundo tá perdido Gaby, brancos, negros, índios, asiáticos, mestiços, tá todo mundo louco, todo mundo sem noção. E isso é triste.
    Parabéns pelo texto, é realmente maravilhoso.
    Beijão.

    www.creepybeauty.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu vivo discutindo isso,já até mencionei no blog que me falaram para ouvir música de negro,pois rock não era pra negros.mas ué,o rock não veio do blues?!Acho bacana esse orgulho de assumir-se quem é,independente de onde veio,mas essa merda toda de apropriação cultural que a galera fala,tá enchendo.Gente agredindo verbalmente na internet casais interraciais gratuitamente por conta disso, e já olharam meu marido e eu feio na rua.Essa porra toda ao invés de diminuir o preconceito e a guerra que há diante disso,aumenta o ódio cada dia mais.Daí eu penso: ao invés de progredir estamos regredindo e separando as coisas?-Minha família é muito miscigenada, e acho lindo ver as misturas de traços em cada rosto.

    Ai quando falamos que certas coisas no Mundo estão contribuindo pra chatice crescer,somos taxados de mente fechada,de preconceituoso e o caralho a quatro.Mas ué,você ai que fala isso, e de boca cheia defende a igualdade não está pregando o preconceito da mesma forma?É um grande equivoco...ontem eu comentei aqui em casa,que as pessoas estão ansiando por tanta perfeição da imagem,que tudo de tão ''perfeito'' anda sem graça e artificial,e quem é espontâneo é visto como tolo.

    Eu nunca vou entender essa coisa de ''apropriação cultural'',não apaga o fato de negros e imigrantes terem sido explorados no nosso pais,pois se você pegar a fundo e pesquisar muitos imigrantes foram escravizados também.Fora que nos países do continente africano há essa prática também.Afirmar muitas coisas,sem o mínimo de informação é triste.Temos que combater males que impregnam qualquer população,independente da cultura/etnia...há coisas piores para combater do que o uso de turbante por brancos ou dreads por asiáticos.

    Vamos usar o que quisermos,vamos alisar o cabelo,encaracolar,usar turbante ou o que quiser...vamos ser orgulhosos desta mistura e troca de aprendizado cultural.Pois nosso país desvaloriza essa riqueza que é somente nossa!

    Ah mulé feliz 2016!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Esse mimimi todo só existe pra dar ibope de certa forma.
    A gente tem que aceitar e respeitar.
    As vezes me parece utopia um mundo sem esses preconceitos.
    Não deixe de visitar meu blog:
    espinhapunk.blogspot.com.br
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto! Tá aí alguém que pensa como eu.
    Eu juro que toda vez que alguém fala de apropriação cultural, eu tento ler o texto e entender e tal, mas isso não entra na minha cabeça, já que antes da apropriação cultural existe uma coisa chamada gosto pessoal. Quer dizer que mesmo que eu respeite a cultura negra e goste de várias coisas que eles usam eu não posso usar porque sou uma "branca nojenta, escória da humanidade"?
    Acho isso muito absurdo. Como você mesma disse, o problema não está em usar algo de outra cultura e sim no racismo. Um branco usar ou deixar de usar algo a cultura negra não vai diminuir o racismo existente no mundo. A educação vai. Precisamos investir em educação sempre. Só ela é capaz de salvar o mundo...
    Enfim, mais uma vez, adorei o texto!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Só vim aqui dizer que eu conheci o blog só agora,e comassim se nós se segue no insta e eu nem sabia??? E to amando <3

    ResponderExcluir